A triste realidade do Rio Piracicaba

Com a falta de chuva na cidade, as pedras do rio Piraciaba já estão visíveis e o mau cheiro está tomando conta do local.

Para os trabalhadores, o cheiro forte está bem difícil, já que o bairro tem muito comércio. Mesmo com a falta de chuva, moradores ainda desperdiçam água, lavando carros e calçadas.

Já o problema do mau cheiro, só poderá ser resolvido quando houver grande volume de chuva novamente na cidade, já que a chuva de sexta feira (26) não foi o suficiente.

Para Junior Cassini, morador da Vila Rezende, é triste ver o rio nessa situação e pessoas desperdiçando água sem pensar nos danos que isso pode acarretar para gerações futuras.

Como conversado com Pedro Alberto Caes, engenheiro de saneamento sênior do Semae, passou as seguintes informações sobre o caso.
Faltou água em alguns bairros da cidade, como o Cecap, e Dois Corregos e região,e  não houve racionamento de água na cidade.
” O Semae não está aplicando multas, seria necessaria uma lei autorizando a punição e determinando os valores das multas. Piracicaba ainda não tem lei para isso.
A falta de água na região do Cecap,foi decorrente á um serviço de manutenção em adutora, seguido de problemas elétricos no bombeamento. Os serviços de manutenção normalmente são emergenciais e inesperados, não há como avisar antecipadamente pois ocorrem sem aviso prévio. Porém, assim que foi detectado que haveria falta de água, o Semae fez comunicados através dos meios de comunicação e redes sociais.

Há também os serviços de manutenção programados, estes sim são avisados com antecedência.” Disse Pedro Alberto Caes, engenheiro de saneamento Sênior.
Como perguntado sobre a vazão do rio Piracicaba ele é considerado morto,são retirados apenas 10% de sua capitação, por causa da poluição.

A capitação acontece pelo rio Corumbataí, que são capitados 4.500 litros de água por segundo, e são retirados apenas 2.000 litros de água.
A questão sobre as espumas que cobre o rio, é consequência do esgoto químico e doméstico,um exemplo bem claro é o detergente, o mesmo se refere para a cor da água, afirma Pedro.

Para o rio voltar ao seu volume estável, somente com a volta da chuva e com a colaboração da população.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*