Abandono do Parque Florestal Chico Mendes incomoda vizinhos

 

Entrada do Parque Florestal "Chico Mendes" (Foto: Tainá Marchi)
Entrada do Parque Florestal “Chico Mendes” (Foto: Tainá Marchi)

Os moradores do Jardim Bandeirantes, em Mogi Guaçu, estão insatisfeitos com a situação de abandono da área onde funcionava o “Parque Florestal Chico Mendes”. O mau cheiro, a fuga de animais e a falta de limpeza incomodam os vizinhos do parque. O local está fechado para visitação desde 2006 e, em 2009, parte dos animais que viviam em cativeiro foi remanejada para outros zoológicos. Já o restante dos animais foi transferido no início de 2012. Ficaram no local apenas um pavão e os bichos de que viviam livres, como patos, garças, cotias e até mesmo gatos. A água do lago ganhou aparência esverdeada, trazendo preocupação aos moradores.

Maria Aparecida da Silva relata que durante a manhã e o período da tarde o mau cheiro é insuportável, e que tem que manter as portas e janelas de casa fechadas. Segundo ela, o cheiro fica pior em dias chuvosos. Outro problema frequente no bairro, provocado pelo abandono do zoológico, é a queda de energia, por conta dos galhos das árvores que alcançaram a fiação. A última poda de árvores foi feita no começo de 2013, e os galhos cortados ainda estão na calçada do parque. “A gente liga na Elektro, mas eles falam que quem tem que tomar providencia é a prefeitura, então ligamos na prefeitura e nada”, desabafa Maria.

O que mais indigna a auxiliar de limpeza Alzira Leal é a falta de colaboração da vizinhança, que já foi alertada para não alimentar os animais do local, mas continua jogando todo e qualquer tipo de alimentos para eles. Alguns vizinhos acreditam que esse comportamento tenha favorecido a fuga dos animais em direção as casas. Segundo Alzira, a falta de providências da prefeitura levou os próprios vizinhos a tentar amenizar o incômodo concertando os buracos na cerca, fazendo o corte da vegetação da calçada, além da limpeza do local.

De acordo com o secretario do Meio Ambiente, Márcio Antônio Ferreira, a falta de manutenção da estrutura do recinto em gestões anteriores levou à degradação do espaço, mas garante que a limpeza interna é feita. Contudo, na parte externa, confirma a ajuda dos vizinhos. “Os moradores têm contribuído com a gente nesse sentido, para evitar maiores comprometimentos com a disposição do lixo no entorno do parque”, disse. Já a respeito da poda das árvores, Ferreira afirmou que nas próximas semanas o serviço deve ser feito para evitar problemas com o fornecimento de energia ao bairro.

Alzira conta que antes de fechar os portões, o parque era um local muito agradável para as crianças, jovens e adultos, e que servia de lazer para os moradores do bairro e da cidade. “Era um lugar muito agradável, dava gosto de ver sempre cheio com gente de todas as idades. Vivia cheio de alunos que vinham fazer piquenique com a escola e ver os animais”, recorda. Em relação à reabertura do recinto, Ferreira disse que o processo de licenciamento da área está em andamento e que o parque volte a funcionar em 2015.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*