AfroPira oferece oficina de Bate Lata para crianças

Post By RelatedRelated Post

Crianças aprendem a tocar instrumentos feitos de materiais recicláveis (Crédito: Júlia Heloisa Silva)

A 6ª edição do AfroPira ofereceu uma oficina de Bate Lata para que crianças aprendessem a fazer instrumentos musicais com materiais recicláveis como: latas de tinta, latas de ervilha, galão de água, baldes, entre outros.

Ministrada no Engenho Central de Piracicaba pela cantora Elaine Teotônio e seus alunos do Bate Lata do bairro Parque 1º de Maio, a oficina foi aberta a todas as crianças que passaram pelo evento com o intuito de ensina-las a reciclar e despertar o interesse pela música.

Segundo a cantora, a iniciativa faz parte do projeto Afroecologia, que tem como finalidade realizar oficinas que contemplam a cultura afro-brasileira e ações de educação ambiental. “Vamos levar essas oficinas para seis bairros de Piracicaba até janeiro. Nelas nós fazemos uma divulgação do projeto e ensinamos como coletar os materiais, como limpa-los e como os organizar”.

Crianças aprendem o ritmo da batida com os alunos do Bate Lata (Crédito: Júlia Heloisa Silva)

Elaine mostrou, com a ajuda de seus alunos, todos os instrumentos para as crianças e explicou como cada um é feito. Contou que as peles dos tambores usados pela turma são doadas pelas escolas de samba da cidade. São peles que para as escolas não têm mais utilidade, mas que ainda servem para outros usos.

Após a demonstração, as crianças, muito entusiasmadas, fizeram fila para tocar os instrumentos e aprenderam a fazer uma batida. Quando a oficina terminou, todos assistiram uma apresentação dos alunos no palco principal do evento.

Pedro Henrique Gomes, aluno há quase seis meses do Bate Lata, explica a importância da oficina em sua opinião. “Acho importante porque, com a oficina, as crianças podem aprender que com coisas fáceis podemos fazer coisas incríveis”.

“O que as crianças aprendem a fazer na atividade, nós esperamos que deem continuidade com seus familiares, nas escolas e em todos os lugares que forem”, disse Elaine.

O AfroPira é um dia inteiro de oficinas, músicas, comidas e exposições voltadas à cultura negra e acontece na Rua do Porto. É realizado em comemoração ao Dia da Consciência Negra, 20 de novembro, uma referência ao dia da morte de Zumbi dos Palmares, líder do Quilombo de Palmares, que lutou pelos negros no Brasil. A importância da data está no reconhecimento dos descendentes africanos na construção da sociedade brasileira.

 

Share

Júlia Heloisa Silva

DEIXE UM COMENTÁRIO

Email (will not be published)

*