Moradores dos Jardins Potiguar e Abaeté reclamam de asfalto

Moradores do Jardim Potiguar e do Jardim Abaeté, em Piracicaba, enfrentam o problema de pavimentação de baixa qualidade há anos. As ruas dos bairros, que são pequenos e bem próximos, nunca foram recapeadas e têm apenas os buracos tapados, o que faz com que elas permaneçam com remendos e saliências. Tal prática, inclusive, facilita o surgimento de novos buracos, uma vez que as ruas não estão lisas e há trafego de ônibus e caminhões.
Alguns buracos ainda permanecem sem uma solução da prefeitura, e outros são tapados, no improviso, por moradores, utilizando areia, cimento ou até pedaços de tijolos, o que pode fazer com que veículos derrapem devido ao solo arenoso.
O maior agravante da presença de buracos é em relação aos carros. A parte de suspensão e pneus sofre em meio a tantos buracos e saliências no asfalto. Além disso, acidentes podem ser causados quando os motoristas tentam desviar das falhas no recapeamento.
Para a dona de casa Kátia Soares Leocádio, que mora no Jd. Abaeté há 22 anos, a situação do asfalto do bairro é péssima e a importância que a prefeitura dá ao assunto é nula. “Não adianta nada eles ficarem remendando as ruas e arrumando os buracos com material ruim, depois de três meses o problema volta”, reclamou.
Kátia mudou-se para o bairro quando algumas ruas ainda eram de terra e não havia iluminação pública em todas as vias. Segundo ela, foi durante o mandato do prefeito Mendes Thame que as obras foram realizadas. “A prefeitura ajudou bastante naquela época, mas agora abandonou o bairro”, disse Kátia.
Moradora do Jd. Potiguar há 10 anos, a professora Simone Alonso, disse já ter reclamado com a prefeitura através do 156 e que, na época, ela foi informada de que o recapeamento seria executado, mas isso não aconteceu. “Eles apenas taparam os buracos e agora o problema volta sempre a acontecer”, reclamou.
Em nota, a assessoria de comunicação da prefeitura explicou a não resolução dos problemas, dizendo que estão cientes das reclamações e concordando com o fato de que tapar os buracos é uma medida que resolve a situação apenas a curto prazo.
A assessoria disse ainda que o serviço de recapeamento total de ruas passa por uma análise técnica que leva em conta fatores como idade e condições do pavimento, índice de acidentes na via, entre outros. Segundo a assessoria, nenhuma das ruas dos bairros foi escolhida pela comissão, mas que ainda haverá novas etapas de análise nesse ano.

Fotos: Leon Botão

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*