Avenida em situação de abandono oferece riscos a pedestres

A situação de abandono da avenida Piracicaba, antiga estrada para Tupi, entre a penúltima rotatória da Av. Cássio Paschoal Padovani e o início da Av. José Trevisan, que leva à Sinfesalq e à AABB, pode oferecer perigo aos usuários que passam por ali de carro, moto ou a pé. Com o asfalto em condições ruins, má sinalização, alto trafego de caminhoões devido a uma transportadora e iluminação praticamente inexistente, há riscos de atropelamento e acidentes de trânsito. Mesmo nessas condições, a avenida é muito utilizada para a realização de atividades físicas, tanto por jovens como por idosos.

Nossa reportagem percorreu a avenida se atentando aos detalhes e descobriu ainda uma grande quantidade de água empoçada, numa extensão de mais de 10 metros, o que possibilita o surgimento de focos do mosquito da dengue. Além disso, havia lixo, entulho e até sofás velhos jogados às margens da pista, que não tem nenhum acostamento.O único ponto da pista que tem acostamentos e iluminação fica em frente à transportadora, que mantém um pátio onde os caminhões de grande porte ficam estacionados. O único poste de luz do local é particular.Outro perigo que evidenciamos foi a utilização da avenida para testes de veículos das concessionárias da região. Em um espaço de trinta minutos, três carros sem placas passaram em alta velocidade pela pista, arriscando provocar acidentes.

Usuária da pista para caminhadas,  Dona Angela Peressin, 59, acredita que deveriam ser feitas obras de manutenção na pista e que a construção de calçadas e a colocação de postes de luz deixariam o espaço sem perigos. “Gosto de caminhar por aqui porque é plano, se houvesse iluminação e calçadas, seria melhor ainda. Do jeito que está, temos que ficar muito atentos com os caminhões e os veículos”, explicou a dona de casa.Para o senhor Laerte Vito, 60, que é morador do Jd. Brasília há 30 anos e também costuma caminhar pela avenida, é necessário que seja feita a limpeza das laterais da pista e a retirada do entulho que é jogado. Além disso, a sinalização deveria ser melhorada. “As pessoas de fora da cidade que acabam passando por aqui ficam perdidas, não há sinalização com placas e a pista precisa ser pintada novamente”, reclamou.

RESPOSTA

Em nota, a Assessoria de Comunicação da Semuttran explicou que a área “trata-se de um terreno de estrada que ficou para o município, depois da
duplicação da SP 304, desativando a antiga Estrada de Tupi”. A assessoria afirmou ainda que o município faz a manutenção do local e que, inclusive, está agendada uma operação tapa-buraco para a próxima semana.

Buracos e faixas sem manutenção agravam o problema do trafego de caminhões pesados (Foto: Leon Botão)
Caminhada se mistura ao trafego de caminhões (Foto: Leon Botão)
Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*