Capivarianos de origem, rafardenses de coração

por / 3 de maio de 2015 Cultura, Geral sem comentários

Post By RelatedRelated Post


A história de Rafard é extremamente rica e não se resume apenas aos 50 anos (completos em 2015) de sua emancipação política. É uma biografia centenária e acompanha Capivari, sua cidade vizinha, desde seu primórdio.
A luta do povo pela independência de suas terras é retratada por “Chico Rebette”, homem que a exemplo de Rita Martins, professora de história, e Pedro Luiz Cerezer, aposentado após 10 anos como funcionário da Usina Rafard, nasceram em solo capivariano e após a autonomia da “Cidade Coração”, tornaram-se de fato rafardenses.

A cana-de-açúcar, base do capital na cidade, através da Usina Rafard e do Engenho Central, é realçada como instrumento forte do crescimento da terra. O trajeto da família Cerezer, que por mais de 100 anos trabalhou na Usina, também é parte rica da memória da cidade. Dentre as autoridades, Genaro Vigoritto – primeiro prefeito (1965-1968) – possui grande significância no desenvolvimento do município.

Porém, o que é inegável quando se discute a história da cidade com os mais antigos, é que Rafard sempre possuiu capacidade para se autogerir, sendo iminente sua “libertação” após determinado período em conjunto a Capivari. Nomes importantes da cultura e da arte nacional, como a pintora Tarsila do Amaral, e o ator Paulo Betti, também são filhos de Rafard. A casa onde Tarsila nasceu hoje é patrimônio tombado, além de estampar com sua famosa obra “Abaporu” a entrada do município.
rafard_1

Share

Diego Ulerich

DEIXE UM COMENTÁRIO

Email (will not be published)

*