Desafios superados

Após passar pelos dois primeiros semestres do curso de jornalismo, tive a feliz sensação de ver que era aquilo mesmo que eu queria. Pode ser que um dia eu não exerça esta profissão, ás vezes tenho essa impressão, mas tenho a absoluta certeza de que gosto de tudo o que envolve comunicação, em especial o jornalismo.

A matéria de Laboratório de Jornalismo na Internet aprimorou os poucos conhecimentos, pouquíssimos eu diria, sobre como produzir para a grande rede.

Antes de começar o curso, em maio de 2009, apostei na idéia de criar o meu próprio blog e postar os meus textos. Logo vi que na internet a noção de tempo é algo que deve ser muito bem pensada e trabalhada, pois o tempo do internauta é relativamente curto, porém suas opções são várias.

O tema que sugeri para a primeira pauta do grupo, resumidamente falando, era sobre algumas coisas que envolvem universidades e universitários. Dificuldades de adaptação para jovens que mudam de cidade para estudar, a polêmica questão do trote, a rivalidade entre alunos de instituições diferentes, a entrada para o mercado de trabalho, entre outros. Para a minha alegria, pauta proposta, pauta aceita.

E lá fui eu a procura de fontes para a realização da minha matéria cujo enfoque principal era trabalhar sobre o tema dos jovens que precisaram abandonar a cidade natal, os pais, irmãos e amigos em busca do tão sonhado diploma.

Tive acesso a histórias diferentes, contextos sociais diferentes, mas todas tinham algo em comum: a busca por se especializar e se formar na área escolhida e fazer dos estudos algo que acrescente na vida e também, a terrível vida longe do conforto proporcionado pelos pais.

Vi que para esses estudantes o desafio proporcionado pelas habituais tarefas e atividades do próprio curso não são os únicos “obstáculos” rumo ao diploma, viver sob conta própria e sem aquele carinho e aquela proteção dos pais, além da necessidade de se adaptar, são outros obstáculos a serem superados.

A entrevista da psicóloga Lígia Figueiredo trouxe um conteúdo interessante a matéria, pois sua visão crítica, inspirada no seu conhecimento psicológico colaborou para um melhor entendimento sobre essa fase vivida por vários jovens.

Para ler a matéria Dificuldades e deveres que vão além da sala de aula, clique aqui.

Audiovisual… E agora?

A outra matéria que produzi foi um pouco mais desafiadora para mim: produzir um material com recursos audiovisuais. Desafiadora pois foi a primeira vez que sai com uma câmera na mão com o objetivo de produzir uma matéria. As limitações técnicas e de recursos do meu equipamento não me fizeram desistir e durante o período de mais ou menos 40 dias, registrei em fotos e gravações o problema de uma rua na cidade de Limeira.

Pude acompanhar em um curto espaço de tempo, todo o problema causado por galerias de água precárias e ineficazes, que não eram capazes de escoar as águas da chuva e como conseqüência abriam uma cratera na rua.

Em entrevistas e conversas com os moradores percebi o quanto o problema afeta aqueles que ali moram.

Depois de registrar as imagens e colher as informações, veio a parte mais difícil: editar e montar a matéria.

Elaborar o texto e em seguida fazer a narração não foram lá tão difíceis.

Depois, pela primeira vez em 21 anos de vida, me arrisquei a editar um vídeo e depois de tanto fuçar e errar, comecei a acertar aqui e ali, refazendo alguns pontos e fui percebendo que aos poucos uma matéria ia nascendo.

Todo o processo de edição demorou mais ou menos três dias para ser finalizado e então a matéria Problemas em galerias estragam rua em Limeira foi concluída.

Sei que ainda é pouco, mas vejo que estou no rumo certo e espero sempre aprender.

E neste 4º semestre de curso, mais matérias vem por aí!

Share

Filipe Sousa

Estudante do 4º semestre de Jornalismo da Unimep. Atualmente trabalha no setor técnico da TV Mix Regional. www.facebook.com/filipetrsousa wwww.twitter.com/sousafilipe www.blogdofilipesousa.wordpress.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*