Exposição fotográfica relembra Imperador Amarelo

Imperador e crianças em harmonia corpo-mente-espírito

  
  Há aproximadamente 2.690 A.C na China, havia um sábio imperador que reinou por aproximadamente 100 anos, seu nome era Huang Di ou mais conhecido como Imperador Amarelo.
Em 1766 A.C a China vivia a Dinastia Shang, período em que se têm os primeiros registros infiéis do Kung fu, que era ensinado para crianças e adultos, passando de geração a geração com intuito de manter viva a cultura, bons costumes, ensinamentos e hábitos saudáveis que a acompanha.
  “Huang Di, foi sim um precursor e praticamente o pai da medicina chinesa, mas ele representou muito mais do que isso para a nação chinesa e para o próprio oriente em sua época, muito da cultura e filosofia orientais tiveram um grande desenvolvimento em sua época, assim sendo, a sua figura é praticamente uma representação que simboliza toda sabedoria, cultura, filosofia e pensamento oriental, valores esses que a arte marcial tenta resgatar para conectar o ser humano com si mesmo e com sua própria essência’, diz Tiago.
  A exposição foi feita para mostrar um pouco mais da cultura e filosofia de vida que os antigos Imperadores Orientais ensinavam, e que a muito vem se perdendo. As fotografias marcam bem as cores, vestes e movimentos que dizem muito sobre o Kung fu. O imperador, rodeado pelas crianças, está ensinando a terem harmonia corpo a corpo, com a natureza e com o universo.
  As cores foram bem marcadas propositalmente para transpassarem significados e sentimentos,assim como na figura de um homem gritando, que fazem menção aos homens em seus primórdios, quando o que prevalecia era a ira, a violência e a força bruta. Já em outra imagen observasse crianças unidas repassando amor e sentimentos bons.
  “Não só o kung fu, mas todas as artes marciais trazem benefícios não só para a saúde, mas para o ser humano como um todo, desde que sejam praticadas em sua essência, e não como esporte ou atividades corporais apenas. A base e objetivo primordial de qualquer arte marcial é promover equilíbrio corpo-mente-espírito, harmonizar o ser humano com si próprio, uns com os outros, com a natureza e com o universo, pois arte marcial em essência é uma filosofia de vida, e não uma atividade física ou um esporte de combate, como infelizmente é difundida, praticada e ensinada nos dias atuais por uma grande parte de instrutores que ignoram a parte cultural e filosófica da mesma”, afirma.
   Essa peça ocorre anualmente desde 2003 e vem sendo registrada desde então. As fotografias estão expostas no Clube Cristovão Colombo- sede Campestre até o dia 16/10/2011. A entrada é gratuita.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*