Falta de medicamentos em UPA afeta população

ARLETE
UPA do bairro Piracicamirim; a falta de paracetamol é uma das carências da unidade
( Imagem: Arlete Moraes)

Durante à tarde do dia 28, o movimento no posto de saúde do Piracicamirim era intenso.  Aos gritos de: “Próximo!” novos pacientes caminhavam até o balcão com a receita em mãos. Uma a uma, as receitas eram carimbadas e os  medicamentos, entregues intercalados por frases repetitivas: “O paracetamol tá em falta, deve chegar na semana que vem. Se o senhor quiser ligar para saber…pede para buscar antes de acabar…”.

Muitos parecem não surpreender-se e apenas colocam a receita novamente no bolso. Porém, há os que lamentam: “Eu não posso ficar sem o remédio porque a dor é muito forte” – queixa-se um senhor. Outro descobre que o medicamento que procurava, não é padronizado e é consolado pela filha: “Se tem que comprar, vamos comprar. Fazer o quê?”.

O motorista Fernando Oliveira, 41, faz parte de uma grande parcela da população que utiliza os serviços de saúde públicos. Todos os meses, ele vai até o posto do bairro Piracicamirim (popular “Pisca”) para buscar medicamentos para ele e para a mãe. Frequentemente, eles se deparam com o mesmo problema: a disponibilização temporária de medicamentos.  Entre eles, a insulina. “Ficou dois meses sem insulina para depois vir a ter. Eu ainda tenho condições de comprar, mas e os que não tem?”, – desabafa Oliveira, que diz só ter conseguido a insulina no mês de agosto.

Além da falta de insulina, o motorista reclama também da falta de remédios para a pressão, diabete, colesterol  e medicamentos controlados, como antidepressivos. “Não tem justificativa. E não há previsão para a chegada do remédio” – diz ele ao ser perguntado sobre as justificativas dadas pelos funcionários da farmácia.

Segundo a atendente, há medicamentos que faltam. Porém, essa falta, ocorre devido a alta demanda de pessoas que procuram pelos remédios. “Quando o tempo esfria,  há mais pessoas que procuram por medicamentos relacionados a problemas respiratórios ” – explica ela. Além disso, a farmácia atende outros postos da cidade e, quando há indisponibilidade em um, os outros suprem essa necessidade distribuindo os medicamentos necessários numa espécie de “corrente solidária”.  “A insulina realmente faltou nos últimos meses, mas não é nada grave. Assim que acaba, nós passamos um novo pedido para a coordenação”.  – esclarece ela, que nega a falta constante de medicamentos. “Os pacientes devem vir no começo do mês. Muitos vêm no final, aí não encontram mesmo! Mesmo assim, nós damos aos pacientes a possibilidade de pegá-los em outros locais”.

Porém, segundo o motorista, a história não é tão simples. “Eu vinha no começo do mês. Aí, me mandaram vir no final. Se eu vir buscar o remédio três dias antes, eles não querem entregar! Já tentei pegar os remédios em outros postos, mas eles não entregam porque sou registrado aqui!” – argumenta ele. Diante disso, a funcionária diz que Fernando pode sim pegar os medicamentos e que ela irá escrever na receita um bilhete para ele apresentar quando for retirar o remédio.

A UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do Piracicamirim atende um número extenso de pacientes, que recorrem a farmácia do posto para adquirir os medicamentos necessários. Com a receita do médico e o cartão do SUS, os pacientes podem adquirir os medicamentos sem custo algum. Porém, como explica a funcionária da farmácia, os medicamentos precisam ser padronizados, ou seja, devem fazer parte da lista de medicamentos comprados pela Prefeitura. Na lista estão os medicamentos usados com mais frequência pelos pacientes. São medicamentos para dor, colesterol, diabete, pressão etc. A unidade atende bairros como Petrópoles, Morumbi, Jardim Bandeirantes, Piracicamirim, Vila Mariana, Noiva da Colina entre outros. A assessoria de imprensa da Secretária de Saúde afirma desconhecer a falta de medicamentos e diz que o problema com a falta de insulina ocorreu por causa do término contratual da Prefeitura e que já teria sido resolvido.

Share

Um comentário em “Falta de medicamentos em UPA afeta população

  • 13 de outubro de 2013 em 15:03
    Permalink

    parabens ficou legal arlet

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*