Jantar arrecada fundos para comunidade da Rua do Porto

A Irmandade do Divino realizou um jantar beneficente na noite de sábado, dia 24 de novembro, e arrecadou fundos para as pessoas carentes da comunidade da Rua do Porto, em Piracicaba. O evento contou com o auxilio de uma grande equipe de voluntários.

Mesmo com a chuva forte, os voluntários deram conforto aos presentes. O espaço foi reduzido pois mesmo com uma tenda na área externa, os participantes poderiam de molhar. Assim, o jantar foi realizado apenas dentro do salão da Irmandade no Largo dos Pescadores. Foi servido filé de peixe a parmegiana e aproveitaram a banda, que tocou do início ao fim do jantar.

Organização

De acordo com a coordenadora de comunicação e relações públicas da entidade, Sabrina Casarin, o trabalho da Irmandade ocorre durante todo o ano, e não apenas em eventos. “Toda a parte de organização, providenciamento de comida e montagem estrutural do jantar deve começar bem antes”, explicou. Além disso, Sabrina contou que durante o ano, eles analisam todas as possibilidades de melhorias que podem trazer para a entidade.

Membra da Irmandade do Divino há trinta e seis anos, a coordenadora disse que é gratificante para ela realizar todo o trabalho. “Eu sou devota do Espírito Santo, então não meço esforços para ajudar em tudo que posso”.

Voluntários ajudando na cozinha durante o jantar beneficente. Foto: Mariana Marzocchi

Para a voluntária e professora da entidade Luciana Ponce, é um trabalho fundamental e comovente. “Estamos aqui principalmente para usar os recursos que temos em benefício do próximo”, contou. Segundo ela, o trabalho exige muita carga emocional, mas é preciso separar as partes: a dificuldade do outro na qual ela se sensibiliza com aquilo que se propõe a fazer por eles. “Senão, ao invés de eu jogar uma corda e ajudar quem está no fundo do poço, eu me jogo junto. Então me coloco como um instrumento de ajuda do próximo”. Ela se apega muito a todos os auxiliados pela organização, porém se sensibiliza mais com as crianças, principalmente as do orfanato.

Jantar beneficente organizado pela Irmandade do Divino. Foto: Mariana Marzocchi

Vlademir Rodrigues, membro da Irmandade do Divino, contou que já foi muito ajudado pela entidade quando teve câncer cerebral. “Quando fui diagnosticado tive que ficar muito tempo internado e a Irmandade do Divino desde o início me auxiliou muito, seja com o espírito de fé quanto com o apoio para os medicamentos, e desde então frequento aqui com muito orgulho”.

A vice-presidente, Liliane Sartori, que é membra da organização desde pequena, disse que é essencial e gratificante dar todo esse apoio. “Eu fico mais na cozinha durante o evento, pois adoro. E mesmo tendo uma equipe de voluntários, nós, vices, coordenadores, diretores, fazemos um pouco de tudo. Uma hora estamos sendo voluntários, outra hora coordenando algum evento, e é por esse caminho que tudo funciona aqui, e todos ajudando com muito carinho e gratidão”, finalizou a vice-presidente.

Um pouco da história da Festa do Divino

Imagem da Irmandade do Divino. Foto: Mariana Marzocchi

No início do século 19, o único meio de transporte na cidade era pelo Rio Piracicaba, e como todas as comunidades ribeirinhas eram distantes, sua comunicação ocorria através do fogo.

Quando iam ocorrer as trocas de mantimentos, sinalizavam com fogos. E Viegas Muniz, provedor de Piracicaba na época, era quem realizava o translado.

É devido a todo esse processo que realizavam nesse período que a Irmandade do Divino foi construída onde os ribeirinhos se encontravam nas águas do rio.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*