Cultura piracicabana é lembrada em livro sobre Teatro Andaime

 
Companhia de Teatro Andaime em cena. Foto: Fabio Mendes

 

Com o vigésimo quinto aniversário da Companhia de Teatro Andaime, o crítico de artes cênicas e professor do Instituto de Artes da Unesp, Alexandre Mate, está escrevendo um livro, contando a trajetória do grupo e recordando a cultura piracicabana, que foi retratada em uma das peças teatrais da companhia.

O Andaime foi fundado em 1986, pelos atores Antonio Chapéu e Carlos Jerônimo, com 11 espetáculos encenados e com mais de 320 apresentações, exibidas pelo Brasil todo, sendo uma delas a peça, O Lugar Onde o Peixe Para, que mostra o modo caipira de vida de Piracicaba, como o dialeto lingüístico que se fala no interior paulista , o som da música de viola, entre outros.

Cidade de Piracicaba. Foto: Fabio Mendes

 

“Em 1996, nós fizemos uma pesquisa sobre a cultura de Piracicaba e região e decidimos criar uma peça de teatro com o universo do mundo caipira”, alega o ator Antonio Chapéu.

 De acordo com Chapéu foi através do Lugar Onde o Peixe Para, que o Andaime conquistou seu reconhecimento, peça de teatro que marcou também o público piracicabano, que se sentiu a vontade através de um espetáculo baseado no cotidiano e no estilo de vida que eles levam.

 O Livro Andaime 25 Anos é um projeto do Núcleo Universitário de Cultura da Universidade Metodista de Piracicaba (NUC) e foi contemplado com verbas do Fundo de Apoio à Cultura (FAC), que disponibiliza recursos financeiros para a disseminação de eventos culturais de Piracicaba, em parceria com a Secretaria Municipal da Ação Cultural (Semac).

 

Antonio Chapéu em cena, à esquerda. Foto: Fabio Mendes

 “O Alexandre Mate foi convidado por mim para escrever o livro devido a seu talento como crítico de teatro, no entanto, o livro ainda não tem uma previsão de quando será publicado”, finaliza Chapéu.


 

 

 

 

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*