Espaço no Museu Gustavo Teixeira é usado para aulas de teatro

Post By RelatedRelated Post

As aulas da nova turma de teatro de São Pedro, realizadas no Museu Gustavo Teixeira, começaram em dezembro. Ministradas por Mônica Cardoso, 20, que atua na área há 7 anos, as aulas atraíram 15 jovens, sendo a grande maioria meninas. “O objetivo das aulas é despertar a vontade pela cultura e pela arte, assim como a vontade do aluno de se tornar mais desinibido”, disse a professora.

Muitos alunos que ingressam em aulas de teatro o fazem como uma forma de controlar a timidez, sentimento capaz de atrapalhar em muito a vida social e profissional das pessoas. “Aumenta a confiança, você começa a ter uma desenvoltura maior”, afirmou Aline Fornazier, 19, que teve que abandonar as aulas de teatro em sua antiga cidade ao se mudar para São Pedro. Agora, porém, ela diz que pretende continuar.

Na primeira aula, os alunos realizaram exercícios e atividades que trabalham o corpo e os sentidos. E os resultados já puderam ser sentidos. “Sinto-me diferente. Você é a mesma pessoa, mas ao mesmo tempo pode ser outra. Isso que me surpreende e me deixou fascinada”, declarou Milena Rodrigues, 16. Para os interessados, as aulas são oferecidas aos domingos, na Rua Joaquim Teixeira de Toledo, 524, Centro, das 18h às 19h.

São Pedro também conta com a “Salve! Cia. de Teatro”, fundada por José Barbosa Neto, 39, que também exerce a função de diretor. A companhia é responsável por produções como “A paixão de Cristo” – que acontece todos os anos no Estádio São Pedrão – e “Invisíveis”. Atualmente a companhia está produzindo uma adaptação da peça “Ascensão e queda da cidade de Mahagonny”, de Bertolt Brecht.

No momento, o grupo conta com 20 atores, sendo 12 deles fixos e o restante responsável por participações em algumas produções. A estudante Bianca Oliveira, 18, que faz teatro há 4 anos, diz sentir um turbilhão de emoções durante os ensaios e um nervosismo bom. O irmão dela, Bruno Oliveira, 16, que desenvolveu interesse pelo teatro através da irmã, diz que os ensaios valem a pena, pois após as apresentações se sente recompensado.

O fundador da companhia, que já realizou várias produções, quando questionado sobre qual a peça mais gratificante que já fez, declarou que “é aquela que você está produzindo”. Barbosa Neto, ou simplesmente “Neto”, como é chamado pelos atores, começou a fazer teatro na Unimep na década de 90.

Confira fotos do camarim e do ensaio da Salve! Companhia de Teatro, em 1 de dezembro de 2013.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Share

DEIXE UM COMENTÁRIO

Email (will not be published)

*