Nova Odessa reduz registro de assaltos e furtos

Comerciante de roupas, Ednei

Comerciante de roupas, Ednei- foto: Gabriel Leme Giacomin

Depois de registros elevados em 2015 cidade diminui os assaltos em 7% e os furtos em 1%

Nova Odessa registrou, nos últimos meses, uma queda nos registros de assaltos e furtos em relação ao mesmo período do ano passado. Apesar da redução os moradores e comerciantes ouvidos pela reportagem pedem por mais segurança. Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP-SP), a queda do número de assaltos em 2016 foi de 7% e de furtos 1% entre os primeiros meses de 2016 em relação ao mesmo período de 2015.

Foram contabilizados, em Nova Odessa: 101 casos de roubos, sendo 3 casos de roubos de cargas, 23 de roubos de veículos e 75 de outra natureza. A Pasta de Segurança também registrou 331 casos de furtos, sendo 74 casos de furtos de veículos e 257 casos de outros furtos. Já em 2015, no mesmo período, foram registrados 109 casos de roubos e 336 casos de furtos.

Apesar da redução dos registros de assaltos e furtos os comerciantes ouvidos pela reportagem mostraram uma surpresa quando foram informados que os registros diminuíram nesse ano. O comerciante Rodrigo conta que teria que ter mais câmeras vigilantes para conseguir diminuir o número de assaltos na cidade. “Para mim, só investindo pesado nas câmeras de vigilância que a polícia conseguirá diminuir ainda mais os assaltos”. No entanto, o comerciante não investiu em nenhum sistema de alarme em sua loja. Já a comerciante Ednei, que já teve seu toldo roubado, investiu em um sistema de alarme, e falou que não se sente segura em seu comercio, “a polícia e a prefeitura deveriam investir mais em câmeras vigilantes e além disso colocar mais viaturas rondando o centro”.

Já outros comerciantes como a Carol e o Rafael, que não foram roubados, dizem que sentem falta de ter mais viaturas rondando as ruas principalmente do centro da cidade aonde há uma concentração maior de comércio.
A reportagem fui atrás para ouvir a delegacia de polícia de Nova Odessa e também da junta da polícia militar de Sumaré e não teve nem uma resposta.

Share

Gabriel Leme

DEIXE UM COMENTÁRIO

Email (will not be published)

*