O rio que virou música é opção democrática de turismo em Piracicaba

Em seus 250  quilometros de extensão, os 3 quilometros mais  visitados do Rio de Piracicaba são os que vão do Museu da Água aos restaurantes do Calçadão. “Todo mundo da cidade ama esse rio, está sempre cheio esse lugar”, declarou o flanelinha José Silvério, que trabalha no lugar há três anos “de fim de semana então, todo mundo vem dar uma olhadinha no rio, principalmente após uma chuva”.

Opção de lazer e turismo para muitas famílias, independente da renda, a orla do Rio é um espaço democrático, pois pode ser um turismo barato pra quem quer gastar pouco ou nada, ou mais caro pra quem quer comer em um dos restaurantes da Avenida Beira Rio e do Calçadão. As pessoas podem escolher de um picolé na região da Ponte Pênsil ao famoso pintado na brasa servido na maioria dos restaurantes.

“O Rio é lindo, é difícil pra nós que moramos em São Paulo imaginar que pode curtir um rio no fim de semana” conta a senhora Inês Barroso, turista de São Paulo, que veio a cidade pra visitar o filho, “além de visitar meu filho, eu sempre gosto de vir e dá um passeadinha no rio, nem que seja só pra olhar”, declara a senhora Inês, e ainda diz que se precisar mudar da capital virá para Piracicaba “O ar daqui me faz muito bem, esse rio dá vida para a cidade”

A orla conta com vários pontos turísticos, começando pelo Mirante, Museu da água, passando para a Ponte Pênsil que dá acesso ao Engenho Central, indo para a Casa do Povoador, descendo mais um pouco tem- se a rampa para os barcos onde tradicionalmente acontece a Festa do Divino, e mais abaixo os restaurantes, que servem o tradicional pintado na brasa entre outros quitutes.

Para o piracicabano Leandro Martínez em seu fim de semana não pode faltar um vinda ao rio, dono de um Jet ski, aproveita as épocas de cheia para “brincar um pouca na água”  como ele mesmo declara “o rio é maravilhoso, comprei o Jet ski só pra poder vir pro rio aproveitar, quando ele tá baixo é difícil, pois e perigoso bater nas pedras e galhos mas quando ele ta cheio que nem hoje, eu me divirto” declara Martínez, que se refere a cheia do rio após uma chuva.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*