Piracicaba não está preparada para a prática do ciclismo

Com os recentes acontecimentos envolvendo ciclistas, sendo que o de mais repercussão foi causado pelo filho do homem mais rico do Brasil, entram em pauta as condições encontradas pelos usuários de bicicleta em suas cidades.

Ciclofaixa abandonada próxima ao residencial Terras de Piracicaba Foto: Airan Prada

Em Piracicaba a situação é alarmante: A cidade possui apenas uma ciclovia, localizada na Avenida Cruzeiro do Sul, no bairro Nova Piracicaba. Porém, segundo alguns usuários do local, essa faixa para ciclistas não pode ser considerada ciclovia, como explica Willians Bressan: “É puramente eleitoral (a ciclovia na Cruzeiro do Sul), porque o conceito de ciclovias é quando interliga bairros. Ali é apenas um local de passeio.” Para Antônio de Souza, que utiliza a “ciclovia” para lazer todos os dias, as ruas da cidade estão superlotadas de carros que tiram o espaço de motos e bicicletas.

Outra questão preocupante é que mesmos as obras mais recentes são planejadas visando o trânsito de carros, sem nenhuma preocupação com o fluxo de bicicletas. É o caso do viaduto Francisco Jesuíno Avanzi, na Vila Rezende, em que os ciclistas são proibidos de transitar pelo local. “Infelizmente os nossos governantes não olham para isso, não deve ser interessante eleitoralmente.”, diz Bressan.

Uma alternativa encontrada para quem utiliza a bicicleta como lazer é o Mountain Bike, em que os ciclistas, utilizando uma bicicleta própria para trilhas (com reforços em sua base e suspensões nos pneus), saem pelas estradas de terra de Piracicaba e região à procura de maior contato com a natureza, e é claro, distanciamento dos veículos que ocupam todo o espaço urbano.

Ciclovia na Av. Cruzeiro do Sul não interliga bairros. Foto: Airan Prada

Segundo os ciclistas ouvidos, Sorocaba é a cidade da região que mais se estruturou, pois construiu ciclovias que interligavam vários bairros.

Procurada, a Assessoria de Imprensa da SEMUTTRAN ( Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte) não quis falar sobre o assunto.

 

Share

Airan Prada

Aluno do curso de Jornalismo da UNIMEP. e-mail: airan.prada@gmail.com

2 comentários em “Piracicaba não está preparada para a prática do ciclismo

  • 27 de maio de 2012 em 22:37
    Permalink

    Muito triste! Pois Piracicaba poderia aproveitar muito mais o seu relevo, que em grande maioria é plano, para uso intensivo do transporte através de bicicleta.
    Carros geram poluição, aquecimento global, sedentarismo…
    Políticos de Piracicaba vamos se mexer e fazer alguma coisa para mudar essa situação.

    Resposta
  • 27 de maio de 2012 em 23:55
    Permalink

    É isso aí. E o novo viaduto (não sei o nome ainda) que dá início à Av. Higienópolis também tem placa de trânsito proibido para bicicletas. Esses governantes estão na contramão de tudo o que se tem feito para tentar melhorar as condições para os usuários de bicicleta.
    Eu estudo na Faculdade Anhanguera de Piracicaba, e observei que não existe nenhum lugar próprio para prender as bikes. Tem que “caçar” um lugar nas grades, espaço que já é escasso também. Onde já se viu uma faculdade não ter onde prender bicicletas? Espaço é o que não falta…

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*