Praias de Amerciana estão abandonadas e perdem turistas

Post By RelatedRelated Post

Praia Azul, antigamente.

Praia Azul, antigamente.

Os pontos turísticos das décadas de 70 a 90 em Americana foram esquecidos. Os bairros Praia dos Namorados e Praia Azul estão abandonados e o rio Atibaia está contaminado pelo esgoto e coberto por algas. Os moradores que viveram os momentos de turismo intenso e os proprietários de quiosques sofrem ao ver os lugares vazios e sujos.

Morador da Praia azul desde criança, o ex-vereador Manoel Gregório de Oliveira Filho, o Manezinho da Praia, acha difícil falar sobre o assunto. Seu pai trabalhava com o turismo que havia nas praias e que desde os anos 80 não há fiscalização no local. Eleito vereador em 2000, Manezinho começou uma luta junto a cidades vizinhas para melhorar a qualidade das águas do rio. “Foi aí que eu vi o meu sonho de poder viver tudo de novo agora com os meus filhos, poder ver a praia como era antes”, desabafou. Manezinho da praia não foi reeleito para continuar sua atuação. “Mas eu ainda acredito que a nossa praia pode voltar a ser o ponto turístico de antes” completa.

O presidente da Associação Barco Escola da Praia dos Namorados, José Roberto Basso, explicou que o rio Atibaia começa em Bom Jesus dos Perdões e passa por mais 11 cidades entre elas, Paulínia, Itatiba, Vinhedo, Valinhos e Campinas até chegar em Americana. As cidades cresceram muito “sem conscientização, é simplesmente ligar os esgotos que antigamente era fossa em uma tubulação e levar para um local sem controle, ou seja, levar e soltar diretamente no rio sem tratamento”, declarou. Basso também explicou que o sistema Cantareira manda para o Atibaia e o Jaguari de 4 a 5 metros cúbicos de água por segundo, desviando 31 metros cúbicos para abastecer a grande São Paulo. Para ele, por conta disso há uma grande concentração de esgoto e menos água.

DSC_0105[1]

Estado atual da Praia Azul. | Foto: Graziela Reina.

Um dos frequentadores mais antigos das praias, o morador de Campinas Garibaldo Pernetti, relembra 1971, quando podia andar de barco, alugar suas chácaras na região para o turismo, pescar, nadar e curtir um verdadeiro lazer com sua família. “Tenho cinco filhos e curti com eles, mas hoje não posso curtir esse paraíso pertinho de casa com os meus netos”. Devido ao abandono das praias, ele vendeu suas chácaras e só volta para ver amigos, em especial Oscar Fabiano Bueno, um dos moradores que ainda faz de tudo para manter a Praia Azul uma “verdadeira praia”.

Oscar Fabiano Bueno mora na Praia Azul há 40 anos e é proprietário de um quiosque há oito anos. Ele conta que seu público não é grande, mas é o que garante sua renda. Bié, como é conhecido, ainda diz que a água está imprópria para banho mas para navegar ou fazer algum esporte aquático acredita que não, por isso ele mesmo uniu amigos para que tirassem um pouco do mato, das sujeiras e dos agua pés e assim mudassem um pouco a cara de abandono da Praia Azul.

A reportagem entrou em contato com a Secretaria do Meio Ambiente de Americana e com o Consórcio PCJ questionando sobre a poluição e medidas para recuperar as praias. Mas nada foi respondido.

Share

Graziela Reina

DEIXE UM COMENTÁRIO

Email (will not be published)

*