Presidente da Fenaj encerra a programação do 5° Simpósio de Jornalismo da Unimep

Colaborações: Carla Lauton, Juliana Goulart, Natália Zanini e Thais Nascimento
Celso Schröder e Paulo Roberto Botão - Foto: Juliana Goulart
A palestra de encerramento do 5° Simpósio de Jornalismo da Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba), contou com a participação do presidente da FENAJ (Federação Nacional dos Jornalistas), Celso Schröder. Com base no tema do evento “Jornalismo e Democracia na Sociedade da Informação”, Schröder, que também é professor na PUC-RS (Pontífica Universidade Católica), ressaltou seu posicionamento sobre a queda do diploma para jornalistas e a multimidialidade que envolve a profissão nos dias atuais.

Schröder iniciou a palestra relembrando as funções do jornalista e sua relação com a democracia. Segundo ele, o jornalismo vai se reinventando diariamente, seja por questionamentos ao meio público, aos governantes ou às ações cotidianas, que são a base da profissão. “O jornalismo é feito de momentos cotidianos, testemunhas eventuais, buracos nas ruas. A base de um bom jornalismo é feita com o repórter nas ruas, com o trabalho do fotógrafo, do editor, do diagramador, um conjunto”, disse.

Sobre a multimidialidade, criada principalmente com a consolidação da internet, o palestrante foi enfático ao afirmar que é contra o acúmulo de funções ao profissional. “Nós devemos resistir ao fato de a imprensa nos colocar para fazer tudo. Isso é proveniente da mão-de-obra barata. É impossível fazer todas as funções e ainda redigir uma matéria de qualidade”, completou Schröder.

Ao final da exposição, os alunos questionaram o palestrante a respeito da queda do diploma. Para ele, o fim do diploma foi um crime contra a profissão e contra a informação. Ainda nesse aspecto, o jornalista da Câmara dos Vereadores de Piracicaba e diretor regional do Sindicato dos Jornalistas da cidade homônima, Martinho, afirmou que eles estão na luta para que o piso salarial do jornalista seja maior, chegando ao valor de R$ 4 mil.

De acordo com o coordenador do curso de jornalismo e professor da Unimep, Paulo Roberto Botão, a avaliação sobre o simpósio é positiva e serviu como um aprendizado para a formação dos estudantes. Ele relembrou as apresentações realizadas ao longo da semana, envolvendo questões como o jornalismo local e regional e a divulgação da imagem na sociedade contemporânea, além da palestra ministrada pelo editor de um dos maiores jornais do país, o O Estado de S. Paulo. “O Simpósio permitiu o contato dos alunos com jornalistas que atuam em empresas de comunicações importantes e ao mesmo tempo, com pessoas que tem uma formação na área sindical, na área acadêmica, como a palestra de hoje, que abriu aos estudantes a oportunidade de obter uma informação mais qualificada sobre qual é a tendência do jornalismo na atualidade”, finalizou Botão.

A programação do 5° Simpósio de Jornalismo teve início na última segunda-feira (14), com a palestra ministrada pelo jornalista Matthew Shirts, diretor de redação da Revista National Geographic Brasil, da Editora Abril, que comentou sobre o fotojornalismo presente nas edições da revista. No dia seguinte, uma mesa-redonda entre o jornalista Carlos Chinelatto, do Jornal de Limeira, Ude Valentini, do Jornal de Piracicaba e Duílio Fabbri Júnior, da EPTV Campinas, abordou questões envolvendo o jornalismo da região. Na quarta-feira, o jornalista Roberto Gazzi, diretor de desenvolvimento editorial do grupo O Estado de S. Paulo, falou sobre as várias plataformas de integração e as mudanças que estão acontecendo no jornal. Uma festa realizada no bar Captain Jack, na sexta-feira (18), encerrou o simpósio deste ano, com uma confraternização entre os participantes.

Share

Carol Ribeiro

Aluna de Jornalismo da UNIMEP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*