Projeto vai reunir estudantes e jornalistas na produção de conteúdo sobre consciência negra

Sob a liderança do Curso de Jornalismo da Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba) e do Departamento de Comunicação da Câmara de Vereadores de Piracicaba, estudantes e jornalistas vão realizar uma cobertura colaborativa da Semana da Consciência Negra em Piracicaba, durante o próximo mês. A iniciativa tem como objetivo ampliar a visibilidade dos eventos programados para o período na cidade e, com isso, estimular a reflexão sobre temas como racismo e a cultura negra. O projeto foi definido durante reunião realizada no último dia 08 de outubro, na Unimep, da qual participaram estudantes e professores do curso e jornalistas convidados. Entre as ações previstas está a criação de uma agência especializada em conteúdo sobre consciência negra, a Baobá Comunicação, para a divulgação dos eventos na cidade, e a produção e publicação de conteúdo jornalístico sobre o tema. A divulgação do material resultante da cobertura jornalística será feita em porta do curso de Jornalismo da universidade e em mídias sociais criadas especificamente para este fim. A identidade visual do projeto foi desenvolvida em parceria com o Curso de Design Gráfico da Unimep e também estão previstas contribuições de professores e estudantes do curso de Publicidade e Propaganda na divulgação e estímulo ao engajamento nas redes sociais. Representante do Departamento de Comunicação da Câmara de Vereadores de Piracicaba na reunião, o jornalista Martim Vieira Ferreira destacou o caráter inovador da iniciativa. Ele ressaltou que a presença dos estudantes nos eventos promovidos na cidade, principalmente no dia 20 de novembro, irá garantir a documentação destes momentos de celebração, o que não tem ocorrido de forma adequada nos últimos anos. Jonatan Neves presidente do Comitê Local do Programa Respeito Dá o Tom, da empresa Mirante, sugeriu aos estudantes a pesquisa sobre iniciativas de busca da igualdade racial nas empresas privadas da cidade. Ele observou que a valorização das atividades já existentes pode estimular outras organizações a também atuarem neste campo, como estratégia de combate ao racismo. A jornalista Débora Valeriano Ferneda Fava, também da área de comunicação da Mirante, se prontificou a contribuir com o trabalho em todas as suas etapas. O jornalista e professor Wanderley Garcia, da Unimep, ressaltou a importância pedagógica do projeto, tanto para os estudantes quanto para a própria população. Também observou que a iniciativa deverá contribuir para o aumento do debate sobre o tema na imprensa. “A maioria dos jornais são para brancos, e a maioria dos assinantes são brancos, temos uma imprensa de brancos para brancos,” salientou. Coordenador do Curso de Jornalismo da Unimep, o jornalista Paulo Roberto Botão informou que o projeto será divulgado a todos os egressos do curso nos últimos anos e aos profissionais da cidade, especialmente os negros. A expectativa é de que a produção de conteúdos sobre os eventos ocorra a partir de parceria entre profissionais e estudantes. “A iniciativa também tem um objetivo didático, de contribuir com a formação dos nossos alunos”, ressaltou.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*