Secretaria da Educação de Limeira trabalha para gerenciar o déficit de vagas em creches da cidade

Post By RelatedRelated Post

O déficit de vagas em creches no Estado de São Paulo também atinge a cidade de Limeira. Devido à falta de investimento nos últimos anos, falta de profissionais e estrutura precária, crianças de zero a três anos e suas famílias são afetadas.

Maria Helvira Arantes, assistente social e Chefe do Serviço Social Educacional, diz que um dos motivos da falta de estruturação das creches é antigo: elas não eram incluídas como parte dos projetos da educação no país, era um segundo plano. Por isso os baixos investimentos em todo esse período. Houve nos últimos anos alguns investimentos do Estado em relação às creches, além do reconhecimento do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) das crianças como parte do desenvolvimento do país desde cedo.

Helvira relata a luta diária da Secretaria de Educação pela melhor logística das vagas e para atenderem o maior número de famílias possível: “Precisamos de maiores investimentos, além de profissionais. Parcerias com empresas e o setor privado são uma ótima proposta. Trabalhar com crianças de 0 a 3 anos é um trabalho oneroso, e exige estrutura necessária.”.

Maria fala sobre o Programa Creche Fila Única, que funciona basicamente como uma lista de espera e que atende as famílias por ordem de chegada. Ao identificarem vagas que cumprem os requisitos de cada família, a secretaria faz toda a logística para o acesso da criança à creche. Alguns dos requisitos são a disponibilidade do período que a família necessita que a criança esteja na creche e a localização mais próxima.

Paralelo ao Programa Fila Única, em 2003 o vereador Miguel Lombardi instaurou o projeto Bolsa Creche em Limeira. O projeto consiste em uma parceria da Prefeitura de Limeira com escolas particulares da cidade, as quais oferecem bolsas na instituição para as crianças nas filas de espera. São atendidas em média 1600 crianças com o projeto. “Não é um trabalho simples, mas já ajuda muito.”, diz Helvira.

Na Secretaria da Educação, a reportagem encontrou uma mãe que preferiu não se identificar, acompanhada de sua filha de 2 anos ela falou sobre as dificuldades que a falta de vagas causa no seu dia a dia: “Estava desempregada, mas agora achei um serviço. Fica muito difícil ir trabalhar e não ter creche para deixar minha filha. Na maioria dos dias ela fica com a avó, mas já aconteceu de ter que deixar ela com a vizinha. ”

Por ser um processo ainda recente, os investimentos e projetos continuam sendo feitos, mas há muito que se conquistar. Maria Helvira fala sobre projetos de ampliação e otimização do que já existe, também como uma medida, mas a busca por financiamentos e patrocínios é complicada. Ela cita a creche da região sul de Limeira, na Morada das Acácias, que está sendo toda otimizada para atender crianças da região. Outro ponto levantado por ela é a importância da assistente social e seu papel: “A nossa função é ampliar o acesso a todos”, diz a chefe do Serviço Social.

O info-gráfico apresenta a evolução da situação escolar de crianças de 0-3 anos em Limeira após o início dos trabalhos do Serviço Social e da Secretaria da Educação.

Share

Felipe Ferreira

DEIXE UM COMENTÁRIO

Email (will not be published)

*