Trabalhadores de Iracemápolis sofrem com o difícil acesso ao Distrito Industrial

Post By RelatedRelated Post

As pessoas que trabalham no distrito industrial de Iracemápolis, cidade com pouco mais de 20 mil habitantes, têm uma única avenida como ponto de acesso às empresas, a Benedito Franco de Campos.

O fluxo intenso de veículos e pedestres nesse local nos horários de pico e a imprudência de motoristas contribuem no aumento do número de acidentes.

Joseneide Fernandes, funcionária da empresa Starplast, vai ao trabalho de moto e encontra dificuldades no trânsito. “Nossa cidade não possui vias para ciclistas e as pessoas têm o costume de andar no meio da rua, assim, carros, bicicletas, motos e pedestres ocupam o mesmo espaço”, ela diz.

Essas dificuldades são apontadas por diversas pessoas que passam pela avenida, como Carina Scofield, e Anaí Grillo.  As duas se mostram bastante preocupadas com a segurança. Carina comenta seu desespero ao ver um menino quase ser atropelado na travessia: “O motoqueiro veio muito rápido e o menino teve que sair correndo para não ser atropelado. Fiquei muito assustada”.

Avenida Benedito Franco de Campos: principal acesso dos trabalhadores ao Distrito Industrial da cidade.

Segundo os trabalhadores escutados, o problema mais comum é a imprudência de alguns motoristas, mas a má organização também contribui  para o caos no local. “Iracemapolis é uma cidade pequena, e não temos semáforos, mas temos faixas de pedestres e ninguém respeita”, diz Joseneide.

Ao entrevistadas concordaram que, de imediato, o policiamento na área durante os horários de entrada e saída dos trabalhadores seria suficiente para controlar o fluxo de veículos, mas pontuam que uma melhora na sinalização é necessária.

O vice-prefeito de Iracemapolis, Denilson Granço, também responsável pelo planejamento urbano, informou que há um projeto para a construção de uma ciclovia que passará por todo o distrito industrial até a chegada aos demais bairros, porém esse projeto está ainda em processo de análise e não tem um prazo para conclusão.

Denilson diz que as empresas próximas ao cruzamento já informaram os responsáveis sobre a situação do trânsito no distrito e solicitaram melhorias. Segundo ele, essas melhorias já foram feitas, como a colocação de placas informativas e faixas de pedestres, mas afirma que se ainda existirem grandes riscos, novas ações deverão ser analisadas.

 

Share

Isa Franco de Campos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Email (will not be published)

*