Vigilância particular reduz assaltos no Jd. Floridiana

Medo e insegurança. Estes eram os sentimentos mais frequentes na vida dos moradores do bairro Jardim Floridiana, em Rio Claro. Há alguns anos foi registrado um alto índice de assaltos no bairro e na região, em uma das ruas, por exemplo, quase todas as casas foram assaltadas, inclusive uma com duas crianças presentes na hora do assalto, e outra com um casal de idosos, sendo que um deles infartou e morreu durante a ação dos criminosos.

Porém, após toda essa onda de assaltos e violência, os moradores do bairro vivem hoje com mais tranquilidade. Hoje em dia, segundo os moradores, é comum ver a presença de vários carros de segurança. A moradora Alda Morgado, 64,diz que gosta muito de morar no Jardim Floridiana. “Hoje eu me sinto segura ali, mas quando eu me mudei não tinha segurança nenhuma, não tinha casa, não tinha guarda particular. E hoje já tem. A segurança melhorou”. Mas a segurança exigiu seu preço.  Alda e Silvia Lourenço se sentem agora quase numa prisão, pois para tudo chamam o segurança da rua, “Esses dias tinha um moço estranho na esquina da rua, e eu chamei o guarda por medo pra me acompanhar, e o moço foi embora, ou seja, eles estam na rua e nós na cadeia”, conta Silvia.

E quando perguntadas sobre o que ainda pode melhorar na região, elas citaram as manifestações que estão ocorrendo em várias cidades do país, inclusive em Rio Claro, e falaram sobre a vizinhança, e a presença de mais carros de ronda da polícia, “Tem dia que chego as 20h30 em casa e não tem ninguém, se os vizinhos se conhecessem mais seria mais fácil pra cada um ajudar o outro, e cuidar do outro. E devia ser construída mais casas ali, às vezes é muito vazio, sem falar que eu nunca vejo carro de polícia fazendo ronda”, explica Alda.

O problema do segurança de rua é que nem todos têm acesso a ele, já que ele tem que ser pago pelos moradores. De acordo com o Capitão Rodrigo Arena, da Polícia Militar, todos os bairros da cidade tem pelo menos um policial que se responsabiliza pela ronda, e se o morador vir alguém suspeito deve ligar ao 190, passar as características da pessoa e se a polícia constatar que é um suspeito, fará a abordagem.

Share

DEIXE UM COMENTÁRIO

Email (will not be published)

*