Aulas de teatro podem melhorar a expressividade

Post By RelatedRelated Post

Para muitos, a timidez é um empecilho no dia a dia. Falar em público, se expressar espontaneamente, entre outras atitudes, podem até causar pânico em pessoas inibidas. Como forma de amenizar ou até mesmo reverter esse quadro, aulas de teatro podem ser eficazes.

Segundo a Enciclopédia Britannica, a origem etimológica da palavra “teatro” é grega e significa olhar com atenção, perceber, contemplar. Samuel Fernandes, ator, diz que o teatro é o “lugar de ver, ver o mundo, se ver no mundo, se perceber, perceber o outro e a sua relação com ele”. Fernandes, que além de ator é aluno do curso de Artes Dramáticas do Senac, ministra aulas de imersão teatral  destinadas não somente para atores, mas também para quem quer melhorar sua expressividade. Para ele apenas a atitude de buscar recursos para perder a timidez já é “meio caminho andado”. “A timidez existe e sempre vai existir em determinados momentos. O que podemos fazer é controlar em quais momentos ela se manifestará”, diz.

Mariane Nardim, musicoterapeuta, buscou o teatro para desenvolver sua expressividade e criatividade, tento em vista complementar seu trabalho e desenvolvimento pessoal. “Minhas expectativas em relação às aulas de teatro é que elas possam contribuir positivamente com minha maneira de dar aula, minha postura, expressão vocal e comunicação”. Apesar de não se considerar uma pessoa tímida, ela acredita que o “teatro contribui para trazer segurança interna para quem o pratica, e isso se reflete quando precisamos enfrentar alguns desafios na vida, como fazer apresentações ou palestras, pois esses desafios ressoam de uma maneira mais leve quando existe esta segurança”.

O curso de imersão teatral ministrado por Samuel conta com atividades e jogos teatrais que auxiliam no processo de autoconhecimento, compreensão e aceitação de seu própio corpo, voz e mente. Ele diz que “o teatro é uma arte baseada numa noção intuitiva que forma nossa consciência e por isso não precisa de um tradutor, de um intérprete. Faz-se necessário um provocador ou incentivador, um questionador das questões humanas”.

As aulas são ministradas aos sábados à noite com duração de seis meses e investimento mensal de vinte reais.

Share

Elisabete Alhadas

Aluna de Jornalismo da UNIMEP bete_alhadas@hotmail.com elasantos@unimep.br

2 COMENTÁRIO

  1. Elisabete Alhadas, parabéns pela belíssima matéria e principalmente pelo apoio e divulgação do excelente trabalho desenvolvido pelo profissionais Samuel Frenandes e André Moura Pedroso.
    Eu e a minha filha , Marina Luisa, somos integrantes do grupo. Estamos tendo a oportunidade de aprender coisa séria com pessoas que sabem ensinar com amor, dedicação, alegria e risos.
    Abraços afetuosos,
    Até a próxima matéria!!!!

  2. Com muito amor e carinho agradeço.
    Elisabete Alhadas que fez essa belíssima matéria, e a todos os amigos/alunos da OFICINA TEATRAL VIDA EM AÇÃO = )
    Beatriz Albiero, Bianca Albuquerque, Ekto Camargo, Elessandra Málaga , William Cid Málaga, Ian Málaga, Fatima Lopes, Kevelly Leite, Lais Godói, ‎Laura Fanttini, Luciana Silva , Gabriela Rodrigues, Julia Packer, Mariane Nardin, Marina Silva e Sarita Leite
    Muito obrigado ao grande amigo e parceiro nesse projeto — André Moura Pedroso

DEIXE UM COMENTÁRIO

Email (will not be published)

*