CEU de Araras transforma a vida de jovens e crianças

Durante toda semana o CEU de Araras oferece atividades de cultura e esporte. Foto: Thais Firmino
Durante toda semana o CEU de Araras oferece atividades de cultura e esporte. Foto: Thais Firmino

Antes da implantação do CEU (Centro de Artes e Esportes Unificados)   José Olavo Paganotti em Araras, a Praça Jorge Assumpção era um       espaço comum como tantas outras praças que se vê pelas cidades, sem muitos atrativos. As crianças não tinham um lugar apropriado para brincar, e não havia muitas oportunidades para os jovens.

A estudante Stefani Caroline dos Santos participa das atividades que são oferecidas aos sábados, como o jogo de tabuleiros, mas também aproveita para ler livros disponíveis na biblioteca. Ela considera o CEU importante, pois passou a ter mais convivência, antes passava a maior parte do tempo em casa. “Agora vem bastante criança na praça, e eu não fico em casa sem fazer nada, pois tem várias atividades”, conta.

O bairro José Ometto I, onde o CEU foi construído, é um local de alta vulnerabilidade social. Mas com a implantação do programa, os moradores passaram a ter mais atenção. Hoje os jovens e as crianças não precisam mais ficar nas ruas, pois o projeto oferece muitas atividades e um espaço para a prática de esportes e proporciona também a interação com outras pessoas.

Kelly Cavalini Reis é mãe de Selma Reis e conta que antes a filha passava o dia em casa, diante do computador, mas agora além de ter um lugar para ir, também tem contato com outras crianças. “Quando ela vem de sábado fica na praça brincando com as crianças, e não fica o dia inteiro na internet”, observa.

O presidente e gestor do CEU, Eustaquio Alves Cardoso, explica que é difícil colocar o projeto em prática, e é necessário a colaboração de todos os moradores e dos órgãos do poder público. Mas declara ser privilegiado em ter sido escolhido para participar da mobilização para a criação do trabalho. Pois quando era jovem não teve a mesma oportunidade que as novas gerações estão tendo.

O trabalho desenvolvido visa à propagação da cultura e incentivo para a prática de esportes, por isso oferece diversas atividades culturais e esportivas. E assim colabora para que crianças, jovens e adultos tenham uma ocupação tanto durante a semana como aos sábados e domingos.

De acordo com Cleurice da Cruz vice-presidente do conselho gestor, a sua satisfação pessoal é ver todos participando, ensaiando, brincando e trabalhando. E que isso ajuda tirar a cabeça dos jovens dos problemas de vulnerabilidade social como as drogas, a violência e a falta de alimento. “Eu vejo que os jovens que vem aqui participar, eles estão deixando de estar na rua e está ocupando o seu tempo e consumindo cultura” opina.

Odair Franchini Junior, estudante, costuma utilizar a pista de skate, e conta que antes não tinha nada para fazer, mas que agora ganhou uma atividade e fez novos amigos. “Foi por causa do CEU que eu comecei a andar de skate, antes eu era uma criança sedentária, e ficava só em casa solitário” declara. Neste ano novos projetos foram implantados como o Em Céu Aberto, que acontece todo sábado e domingo com oficinas, dança e música. O trabalho foi lançado pela Funarte (Fundação Nacional de Artes).

Aos sábados tem oficina de malabares com o professor Marco Cassiano. É uma oportunidade para as pessoas terem acesso à cultura circense, as aulas começam do básico e vai avançando. Todo o material necessário como: bolinhas, argolas, clavas, diabolôs, pratos entre outros é gratuito, não precisa fazer inscrição e futuramente serão incorporadas aulas de equilibrismo como o monociclo e perna de pau.

O CEU se tornou um ambiente que além de aprendizados possibilita a convivência para a comunidade. A administradora Rayane Chimachi frequenta a oficina de malabares e considera o programa importante, pois disponibiliza várias atividades.  “É um espaço aberto onde as pessoas podem se reunir no final de semana, trocar ideias e conversar, além de praticar esportes e conhecer a cultura”, falou.

Já Mariana Pelegrini, estudante de assistente administrativo, também participa todo sábado da oficina e reconhece que depois da implantação do CEU, passou a ter mais envolvimento e acessibilidade nas áreas que são oferecidas. “Estimula a querer buscar cada vez mais a cultura, e também é uma forma de divertimento”, enfatiza.

O projeto Coletivo, coordenado por Mario Marcos, promove orientações sobre carreira profissional para jovens músicos como: workshop de produção musical, registros de música, postura de palco entre outras atividades. Além de proporcionar o espaço e equipamentos para os ensaios.

A estudante de técnica em administração Larissa Ramalho, tem um sonho que é ser MC. E através do coletivo ela está tendo essa oportunidade. “Eu adorei a construção do CEU, pois está ajudando a realizar o meu sonho” conta.Gabriela Isabel, estudante, relata que com o Coletivo ela está aprendendo a compor músicas. “Eu não sabia direito como compor, qual palavra usar, temos aulas com as psicólogas que ajuda a gente a escrever e melhorar a letra”, disse. E aos domingos o Em Céu Aberto oferece o Vem Dançar que tem por objetivo introduzir as pessoas a dança de casal. Também coordenado por Mario Marcos que aconselha uma idade mínima de 12 anos.

O CEU de Araras completou um ano dia 19 de janeiro. O projeto é um programa do governo federal e envolve a participação de 11 ministérios, que deve encaminhar um representante para trabalhar no local, mas por enquanto nem todos foram enviados para esta unidade. Cerca de 350 pessoas passam pelo local diariamente. A programação é diversificada e atende crianças e adultos, com aulas de ginástica para a melhor idade; aulas de futsal; biblioteca; sessões de cinema; quadra poliesportiva coberta; pista de skate e shows musicais. O espaço fica na zona leste da cidade, mas é aberto para moradores de todas as regiões.

Segundo o presidente e gestor Eustaquio Alves Cardoso, a função social do CEU é acolher a família como um todo, pois oferece programações para todos os níveis de idade. “O projeto CEU, no geral, veio para suprir a parte social de toda uma comunidade carente”, avalia.

Programação Projeto em Céu Aberto

Sábado

14h- Oficina de Malabares

18h- Coletivo

Domingo

15h- Projeto Vem Dançar

 

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*