Entrevista com Matt Adams

Matt Adams, Eduardo Ramos e Willian Hasley no camarim do Sesc Piracicaba - Foto: André Rossi
Matt Adams, Eduardo Ramos e Willian Hasley no camarim do Sesc Piracicaba - Foto: André Rossi

Pouco antes de iniciar sua apresentação no palco do Sesc Piracicaba, o músico californiano Matt Adams concedeu uma entrevista exclusiva ao site Sou Repórter. Em um papo descontraído, ele falou sobre as estradas do Brasil, seriados que gosta, mulheres brasileiras e deu um palpite sobre o motivo que leva a imprensa a classificar o seu show como “intimista”.

Show de Matt Adams embala o Sesc Piracicaba

André: No site da banda, você conta que muita das canções do último álbum da The Blank Tapes, o Home Away From Home, foram feitas nas viagens de van pelas estradas dos EUA em diversas situações. As estradas brasileiras inspiram alguma nova canção?

Matt Adams: Claro, as estradas na America (EUA) parecem ser um pouco maiores e mais solitárias do que as daqui. As estradas aqui são ótimas! Na verdade, a melhor coisa das estradas do Brasil é a comida dos postos de gasolina, que são bem melhores que os da América. Na turnê em que você se refere eu estava sozinho, portanto eu tinha bastante tempo para tocar. Não importa para onde eu viaje, é sempre bem inspirador.

André: Vocês passaram por alguma situação inusitada nas viagens pelas estradas do país?

Matt Adams: Não que eu me lembre. Nós pegamos diversos ônibus e no ano passado, quando nós chegamos aqui, eu e o Eduardo (meu agente) fomos alugar um carro, e ele não sabia que eu não dirijo com marchas; nos EUA é somente no modo automático. Eu até dirijo com marchas, mas não muito bem. Então nós estávamos lá, de certa forma, lamentando: “ Ah, nós temos que dirigir em marcha e em São Paulo é complicado. Ah Meu Deus.” Nós estávamos pirando com isso, mas não foi tão mal assim. Foi bem assustador dirigir em São Paulo.

André: Você tocou em São Paulo no sábado passado (8/10), em Sorocaba na última terça-feira (11/10) e ainda farão mais 13 shows no Brasil. Como tem sido a turnê até agora? Tem sido melhor do que a do ano passado?

Matt Adams: Nós apenas fizemos dois shows até agora, então tem sido bom. Quero dizer, nós tocamos tranquilos, em lugares menores, casas de shows menores, e tem sido bem bacana, porque é um pessoal bem legal, e deu pra curtir. Todos têm sido tão receptivos conosco; nós tivemos um momento legal em todas às vezes que tocamos. Mas isso é apenas o comecinho da turnê.

André: Ano passado, a banda começou a ficar mais conhecida aqui no Brasil por causa da música “Listen to the one”, que estava no comercial do bombom “Sonho de Valsa”. Nesses dois shows que vocês fizeram esse ano, apareceu alguém dizendo “hey, toca a música do Sonho de Valsa”?

Matt Adams: Esse ano não. Talvez pelo pessoal não ter visto tanto na tv, não sei, ou talvez porque o comercial está velho, mas foram duas musicas tocadas no comercial, “Listen to the One” e “Long Ago” . Mas ano passado todos cantaram essas músicas em nossos shows, já esse ano não aconteceu isso. Vamos ver o que acontece daqui para frente.

André: Tanto a imprensa local quanto o próprio Sesc classificaram o seu show como “intimista”, mas muitas pessoas não sabem o que isso significa de fato. Sendo assim, eu gostaria que você completasse a seguinte frase: “Meu show é intimista porque…” ?

Matt Adams: “Meu show é intimista porque nós tiramos as nossas roupas hahaha”, brincadeira. Eu não sei quem disse que eu sou intimista, mas eu acho que talvez seja porque algumas das musicas eu toco com o violão, tornando mais pessoal, mais silencioso, talvez seja por isso que eles consideram intimista. Às vezes tocar em acústico significa tocar para certo pessoal em um ambiente menor e ter mais contato com o público, acho que é por isso. Algumas das músicas são mais intimistas e essa é a maneira certa de tocá-las, com nossa alma e coração. Nós vamos arrasar e tocar de forma acústica.

André: Deste ultimo álbum, tem alguma canção que você gostaria que estivesse presente em algum seriado, filme ou até mesmo algum jogo de videogame que você gosta?

Matt Adams: Do nosso ultimo álbum .. Bem, qualquer show ou série de tv que atinja um público grande, sabe? Séries de tv que eu gosto são de todos os tipos, é difícil de escolher uma. Eu gosto de filmes dos irmãos Cohen, também gosto de filmes do Wes Anderson, esses filmes tem cenas lindas, com trilhas sonoras ótimas. Nos filmes do Paul Thomas Anderson também seria legal de ver minhas músicas, estes são alguns diretores de filmes que eu gosto bastante. Quanto a séries de tv, eu gosto de “Arrested Development” e gosto de alguns outros também, eu não sei se tem algum específico que eu consiga pensar agora. Já em relação a jogos, eu não jogo muito mais, jogava bastante Nintendo. Talvez em algum jogo tipo Guitar Bands .. ? Qual é o nome daquele jogo mesmo? Que você toca guitarra .. Rock Band ? Guitar Hero, isso.

André: Você sabia que “Arrested Development” estará de volta ano que vem e que o personagem principal (Jason Baterman) anunciou em seu twitter que voltará para a série. Quem sabe sua música não entre para a série?

Matt Adams: Sim, quem sabe? O mais engraçado sobre “Arrested Development” é que a série é inspirada na cidade onde eu nasci, Newport Beach, no sul da Califórnia, e nós temos as barracas de bananas congeladas. Mesmo afastada de Los Angeles, à uma hora de distância, a cidade inspira a série, o que é engraçado.

André: O Brasil é meio que “conhecido” pela beleza das mulheres daqui, sendo vangloriadas em músicas, filmes e até mesmo no mundo da moda. Você está gostando das mulheres que tem visto no país? Acha que é tudo isso mesmo ou é um pouco de exagero?

Matt Adams: Nossa, sim, as mulheres brasileiras são lendárias. Todos os meus amigos nos EUA diziam: “Você irá se divertir com as garotas brasileiras lá” e coisas do gênero, mas para falar a verdade, nós dois (Matt e o baterista William Hasley) temos namoradas, então nós não estamos nos divertindo tanto, sabe? (risos) Mas são mulheres lindas! Em São Paulo é difícil ver todas as mulheres bonitas porque tem muitas pessoas, mas numa cidade menor como essa dá para se concentrar mais, e sim, aqui há mulheres lindas de diferentes tipos.

Share

André Rossi

André Rossi é estudante do 3º semestre de Jornalismo, torcedor do Miami Heat e fã de "Dexter". Contato: @gerewinchester / andrerossijor@gmail.com

Um comentário em “Entrevista com Matt Adams

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*