Projeto para reduzir a perda de água em Piracicaba já esta em andamento

Post By RelatedRelated Post

 

Estação de Tratamento de Água – ETA Capim Fino

O projeto para ampliação da capacidade da estação de tratamento – ETA Capim Fino, teve início no segundo semestre deste ano. A proposta também tem o objetivo de diminuir a perda de água causada principalmente pelo próprio Serviço Municipal de Tratamento de Água e Esgoto, antes mesmo de chegar às casas.

De acordo com o diretor do DTA – Departamento de Tratamento de água, o índice de desperdício estava entre 45%. Mas os últimos dados atualizados do Observatório do Cidadão de Piracicaba, mostram que desde 2002 os índices de perdas ficam entre 46% à 48%. E na última informação publicada no site, no ano de 2013, este número já estava em 48.1%, sendo níveis inaceitáveis pelo padrão internacional. E para que essa perda seja reduzida em 20% o SEMAE pretende investir cerca de 24 milhões de reais nos próximos anos, podendo chegar até 30 milhões.

IMG_3122

Construção de um novo tanque para o projeto

O Diretor do Departamento de Tratamento de água do SEMAE, José Maria, mencionou que as perdas acontecem através de tubulações antigas, que sofrem com o desgaste e trincam facilmente e também através de extravasamentos em reservatórios. No entanto, o diretor acrescentou que roubos de água, erros de medição e isenções, também compõe o índice de perdas.“Não existe índice de perda zero. Vou deixar claro que este não é um problema exclusivo da cidade de Piracicaba, é geral. Inclusive existem cidade no Nordeste, por exemplo, que perdem cerca de 70 % da água distribuída” analisa o Diretor.

De acordo com José Maria, o SEMAE já deu inicio as obras do projeto de diminuição de perdas, com a chegada dos novos equipamentos. A Prefeitura do Município de Piracicaba irá investir cerca de 1,5 Milhões na primeira etapa do planejamento. E desde o ano passado o SEMAE está trabalhando para a redução deste índice. O diretor comenta que ela já foi contida em média de 5%.

Conforme a análise de Renato Morgado, representante do IMAFLORA – O Instituto de Manejo e Certificação Florestal e Agrícola, os dados históricos mostram que o poder público não vinha dando prioridade á este fato e que além de problemas ambientais, este índice implica em perdas de recursos financeiros.  “ A Instabilidade climática e crise hídrica causam menos disponibilidade de água no rio. Então, quando se perde quase a metade da água no momento da distribuição, se agrava ainda mais a situação da crise “. Ele afirma também que o dinheiro do próprio cidadão investido no SEMAE, em relação a energia, funcionários, produtos químicos (que são usados para uma quantidade x de água), são perdidos com esse dano”.

 

Já no caso de tratamento de água, o SEMAE tem o sistema de capitação d’água semelhante aos serviços das regiões próximas. Segundo ao representante do DTA 90% da água é capitada de rios e a cidade é abastecida com mais de 170 bilhões de litros de água por dia. José Maria comenta sobre o boato de que a medida de flúor colocada na água ultrapassa o número permitido. Porem ele esclarece que a concentração de flúor é acrescentada conforme a mudança de temperatura.

17_10_2015_02_07_49

Laboratório da ETA

O sistema de tratamento convencional de água é considerado de boa qualidade. Contudo, muitos moradores reclamam do gosto da água do município. Mas José Maria garante que a água é muito bem tratada e conta que por saber disso e administrar o DTA a mais de 13 anos, ele sempre tomou água da torneira.

 

 

Share

DEIXE UM COMENTÁRIO

Email (will not be published)

*