Estupro em Sumaré sobe para 22 no primeiro trimestre de 2012

Post By RelatedRelated Post

Em 2011 foram 61 vítimas e até março desde ano são 22, quase três vezes mais que o primeiro trimestre do ano passado.

O munícipio de Sumaré tem 241.437 habitantes, sendo 121.543 mulheres. Elas representam mais de 50% da população.

Apesar de crescer o respaldo polícial em crimes contra a mulher, os números ainda são altos.

Apesar deste íncice ter subido, a delegada Sandra Zanaide, diz que são casos isolados.

De acordo com a Degacia de Defesa da Mulher (DDM), a vítima que sofre ou sofreu violência sexual deve procurar o Centro Médico, onde será feita a coleta de materia genético para exame de sorológico e administração de coquitéis contra doenças sexualmente transmissíveis. Em caso de gravidez, a vítima pode optar por fazer um aborto, conforme o código penal:

Art. 128 – Não se pune o aborto praticado por médico:

Aborto necessário

I – se não há outro meio de salvar a vida da gestante;

Aborto no caso de gravidez resultante de estupro

II – se a gravidez resulta de estupro e o aborto é precedido de consentimento da gestante ou, quando incapaz, de seu representante legal.

 

Logo após tratamento médico, a vítima é encaminhada a delagacia onde é registrado o Boletim de Ocorrencia e o exame de corpo de delito.

Nos hospitais existem os Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher, (CAISM), onde a vítima recebe atendimento psicológico, oferecido pelo governo munícipal e estadual. Em Sumaré, existe a Casa Lar, onde acolhe mulherese seus filhos, que sofrem com a violência. O local fica em um lugar secreto e fica sob vigilância da Guarda Municipal.

Caso o munícipio não tenha uma DDM, o Boletim de Ocorrencia pode ser feito em qualquer distrito policial.

Após esses procedimentos, a polícia vai atrás do agressor.

A pena para quem comete o crime de violencia sexual contra a mulher, de acordo com o código penal é:

Art. 223. Se da violência resulta lesão corporal de natureza grave: Pena – reclusão, de 8 (oito) a 12 (doze) anos. Parágrafo único. Se do fato resulta morte: Pena – reclusão, de 12 (doze) a 25 (vinte e cinco) anos.

 

No município de Sumaré existe apenas uma Delegacia de Defesa da mulher para atender uma população de 121.543 mulheres.

A DDM conta com 4 funcionários de acordo com a Secretária de Segurança de Sumaré para o atendimento.

 

 


Visualizar Estupro em um mapa maior

Share

Luana Ruiz

DEIXE UM COMENTÁRIO

Email (will not be published)

*