EDUCAÇÃO MUNICIPAL DE ANHEMBI PASSA POR REFORMAS

Medidas foram tomadas pensando na melhoria da qualidade de ensino e alfabetização

 

Criança se diverte na escola (Foto: Gabriel Campos)

 

Após a vitória  de Miguel Machado nas eleições municipais de 2016, uma nova equipe assumiu a prefeitura de Anhembi. Deparou-se com vários problemas deixados pela administração anterior. Entre eles, foi detectado pela nova secretária de Educação e Cultura, Alfaia de Lima Nascimento Pecorari, um déficit na alfabetização das crianças do primeiro ciclo do Ensino Fundamental.

As crianças, ao migrarem do Ensino Infantil para o Ensino Fundamental, estavam passando por dificuldades na adaptação com a nova doutrina de aprendizagem. A convivência com crianças mais velhas, com professores diferentes e com a nova didática e dinâmica de ensino construía barreiras que atrapalhavam o desenvolvimento da alfabetização, principalmente nessa etapa inicial, e sem dúvida, uma das mais importantes.

Para Alfaia, que iniciou sua carreira como diretora da Educação Infantil no município, a criança que deixa o ensino infantil e ingressa no ensino fundamental não está totalmente preparada para enfrentar tantos desafios propostos nessa nova etapa. “Essa criança esta acostumada com um ritmo diferente de aula, onde o professor é chamado de tio, por exemplo, e no ensino fundamental as mudanças ocorrem de maneira brusca, assustando e impactando a criança”, afirmou a secretária de Educação.

Para tentar solucionar esse problema, a secretária tomou algumas medidas emergenciais, que a principio, assustaram e até provocaram críticas e comentários na comunidade local. Segundo Alfaia, as crianças precisam gostar do lugar onde estudam, precisam se acostumar com esse novo ambiente e principalmente com as novas crianças. Pensando nisso, a primeira ação foi unir todas as crianças do primeiro ciclo do Ensino Fundamental para estudarem juntas, na mesma escola, em um mesmo período. Ou seja, os pequenos do 1º, 2º e 3º ano do Ensino Fundamental passaram a frequentar o mesmo ambiente escolar, facilitando a habituação com as novidades, a convivência com o novo espaço e com os outros e assim, contribuindo com o desenvolvimento da alfabetização.

Secretaria de Educação acompanha transporte escolar (Foto: Gabriel Campos)

O principal problema enfrentado, maior gerador de criticas sobre as mudanças, se tratava do transporte escolar dessas crianças. Principalmente as oriundas de bairros distantes da escola necessitavam dessa atenção. Para isso, foi disponibilizado ônibus partindo dos principais bairros da cidade, além de monitoras para acompanhar, organizar e zelar pelas crianças durante o transporte, tanto de ida para a escola como de volta para casa. “Nós pegamos as crianças nos pontos, cada uma com seu crachá de identificação, organizamos cada uma em seu lugar dentro do ônibus e acompanhamos até entrarem na escola, o mesmo acontece na volta, fazemos todo o acompanhamento até entregar a criança para os pais”, explicou a monitora Karina Fares.

Sobre o transporte, a Secretaria Alfaia afirmou que “atirou no que viu e acertou no que não viu”. As crianças ficaram tão empolgadas pelo fato de estarem passeando de ônibus que se esqueciam que estavam indo para a escola.

Segundo Fabiana da Silveira, mãe de aluno, essas mudanças foram muito positivas e afirma que sua filha está adorando a nova escola e os novos amigos. “Criança tem que estar junto com criança”, completou a mãe.

Prefeito visita crianças na escola (Foto: Gabriel Campos)

Share

Gabriel Luis Campos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Email (will not be published)

*